segunda-feira, 25 de junho de 2012

Brasil é o 2º pais do mundo com dificuldade em encontrar bons profissionais

O Brasil é o segundo país onde os empregadores têm mais dificuldade em preencher as vagas oferecidas, atrás apenas do Japão. É o que aponta pesquisa do grupo especializado em gestão de pessoas Manpower, realizada no primeiro trimestre de 2012. No topo da lista dos profissionais mais difíceis de encontrar estão os técnicos, os trabalhadores de ofício manual e os engenheiros. O problema atinge o resto do mundo também. Em levantamento feito este ano pela empresa de auditoria e consultoria internacional PwC com executivos de alto escalão, a falta de qualificação na mão de obra foi apontada como a segunda principal barreira para o crescimento das empresas, depois da recessão econômica mundial.

O sócio da PwC Brasil João Lins aponta duas formas de as empresas dos mercados emergentes tentarem solucionar o problema. A primeira é valorizar o trabalho da mulher e criar condições para mantê-la na organização. Elas estão mais qualificadas: ultrapassam a metade dos doutores do país, segundo dados de 2010 do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Ainda assim, recebem o equivalente a 72,3% do salário dos homens que ocupam a mesma posição no mercado, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, as mulheres são a maioria da força de trabalho no país — representam 54,6% da população ocupada. “As empresas têm de criar um ambiente que favoreça a progressão feminina na carreira”, diz Lins.

Elisângela Abrantes, 39 anos, é gerente administrativa de uma rede de drogarias em Brasília. Ela sente que as mulheres fazem um esforço maior para provar competência. Elisângela foi promovida a gerente há três anos. Recebe salário igual ao de outros funcionários que ocupam a mesma posição na empresa, pois a base remuneratória é referente ao cargo, e os critérios de promoção levam em conta o desempenho do profissional e não o sexo. Para ela, essa valorização faz com que tenha prazer em trabalhar e sinta vontade de se manter na rede. “É uma troca mútua aqui dentro, eu doo muito de mim, e a empresa reconhece”, conta.

fonte: Correio Braziliense

19 Anos no AR


Rádio Vitória FM esta completando 19 anos de história. É uma vida contada e cantada. Parabéns a todos os integrantes da Associação Comunitária Vieirense.

Levino Lacerda - Presidente

  ©Rádio Vitória FM 104,9Mhz - Marcelino Vieira-RN - Todos os direitos reservados.

| Topo